14/05/08

Olá meus alunos do 6º Ano! Vamos aprender divertindo? Essa semana, começamos a estudar sobre os Movimentos da Terra, então deixei pra vocês alguns jogos, vídeos e uma pequena leitura. Após a leitura entre no link abaixo que tem um jogo muito legal.Vamos lá?

Movimentos da Terra

Rotação, translação e estações do ano

A Terra se movimenta no espaço. Como exemplo de movimentos da Terra no espaço, podemos citar o de rotação e o de translação, cujos efeitos sentimos no nosso dia a dia.

O movimento de rotação é aquele que a Terra faz ao girar em torno do seu próprio eixo. Esse movimento é realizado de oeste para leste e tem duração aproximadamente de 24 horas. É graças a ele que existe o dia e a noite, uma vez que o movimento rotativo expõe gradativamente partes do planeta ao Sol, na mesma medida em que oculta as partes que lhes são opostas.


Translação e as quatro estações

Já o movimento de translação é aquele que a Terra faz girando ao redor do Sol, de oeste para leste. Esse percurso ou órbita tem uma forma elíptica e dura 365 dias, cinco horas e 49 minutos e dois segundos, ou seja, um ano. É o movimento de translação da Terra o responsável tanto pelas estações do ano, quanto pelo ano bissexto.

As estações do ano decorrem durante cerca de três meses, nos quais as diferentes regiões da Terra recebem menor ou maior quantidade de irradiação solar, de acordo com a inclinação do planeta em sua órbita ao redor do Sol. Toma-se como ponto de referência a linha do Equador para se observar onde e com que intensidade os raios solares incidem sobre os diferentes locais da superfície terrestre.

As estações do ano estão diretamente relacionadas ao desenvolvimento das atividades humanas, como a agricultura e a pecuária. Além disso, determinam o tipo de vegetação e clima de todas as regiões da Terra. E são opostas em relação aos dois hemisférios do planeta (Norte e Sul). Quando no hemisfério Norte é inverno, no hemisfério Sul é verão. Da mesma maneira, quando for primavera em um dos hemisférios, será outono no outro. Isso ocorre justamente em função da posição que cada hemisfério ocupa em relação ao Sol naquele período, o que determina a quantidade de irradiação solar que está recebendo.

Durante o inverno, as noites são tanto mais longas, quanto mais o Sol se afasta da linha do Equador. É esse afastamento que faz as temperaturas abaixarem. Já durante o verão, os dias são tanto mais longos, quanto mais o Sol se aproxima da linha do Equador e dos trópicos. Por isso, as temperaturas se elevam. No outono e na primavera, os dias e as noites têm a mesma duração.



Solstício e equinócio

Quando os raios solares incidem perpendicularmente sobre o trópico de Câncer (no hemisfério Norte) em 21 de junho, e no trópico de Capricórnio (no hemisfério Sul) em 21 de dezembro. Quando o Sol atinge o ponto mais baixo no céu em relação à Terra, ocorre um fenômeno chamado solstício de verão, que marca a chegada dessa estação. No solstício de verão, verificam-se o dia mais longo e a noite mais curta do ano.

Já quando o Sol atinge seu ponto mais alto em relação à Terra ocorre o solstício de inverno que marca o começo da estação fria. No hemisfério Sul, observa-se a entrada do inverno no dia 21 de junho e, no hemisfério Norte, no dia 21 de dezembro. No solstício de inverno, acontecem a noite mais longa e o dia mais curto do ano.

Outro fenômeno a ser mencionado é o equinócio que ocorre quando os raios solares atingem a Terra perpendicularmente sobre a linha do Equador. Em 21 de março, no hemisfério Norte, ocorre o equinócio de primavera, e, no dia 23 de setembro, no hemisfério Sul, ocorre o equinócio de outono. Durante o equinócio, o dia e a noite tem a mesma duração na maior parte dos lugares da Terra (12 horas).

O dia 29 de fevereiro

Com a palavra "ano", designamos o tempo que a Terra demora para girar em torno do Sol. Mas podemos falar em dois "tipos" de ano: 1) o ano civil, adotado por convenção, para regulamentar e regularizar as atividades humanas, com duração estabelecida em 365 dias; 2) o ano sideral ou astronômico, isto é o tempo real do movimento de translação, que possui 365 dias, cinco horas, 49 minutos e dois segundos, ou seja, arredondando mais seis horas a cada ano civil.

Para sincronizar o ano civil com o ano sideral, às seis horas deixadas de lado são somadas de quatro em quatro anos civis, perfazendo um total de 24 horas ou um dia. Esse dia é acrescentado a fevereiro, o menor dos meses. Ou seja, é como se fizéssemos uma correção do ano civil de quatro em quatro anos para fazê-lo coincidir com o sideral. O ano de 366 dias, com o 29 de fevereiro, recebe o nome de ano bissexto.
http://edumed.no.sapo.pt/JogoCooGeo.htm

10/05/08

Vídeo


Desmatamento da Floresta Amazônica

A Amazônia abriga 33% das florestas tropicais do planeta e cerca de 30% das espécies conhecidas de flora e fauna. Hoje, a área total vítima do desmatamento da floresta corresponde a mais de 350 mil Km2, a um ritmo de 20 hectares

por minuto, 30 mil por dia e 8 milhões por ano. Com esse processo, diversas espécies, muitas delas nem sequer identificadas pelo homem, desapareceram da Amazônia. Sobretudo a partir de 1988, desencadeou-se uma discussão internacional a respeito do papel da Amazônia no equilíbrio da biosfera e das conseqüências da devastação que, segundo os especialistas, pode inclusive alterar o clima da Terra.

27/10/07

A GEOGRAFIA NOSSA DE CADA DIA

olá meus alunos do 6º Ano da E.E. Dr. Luiz Pinto de Almeida! Deixei um jogo pra vocês das Coordenadas Geográficas. É só clicar no link ao lado. Bom divertimento e bom estudo!
A Geografia é uma ciência que tem por objeto de estudo o espaço; não o espaço cartesiano, mas o espaço produzido através das relações entre o homem e o meio, envolvendo aspectos dialéticos e fenomenológicos. Para Vidal de La Blache Geografia é a Ciência dos Lugares, já Hartshorne diz ser a ciência da diferenciação de áreas.
A concepção dialética do espaço geográfico entende que a natureza humanizada influencia e é influenciada pela sociedade que produz e reproduz o seu espaço.
Uma definição simples poderia ser: Geografia é o estudo da superfície terrestre e a distribuição espacial de fenômenos geográficos, frutos da relação recíproca entre homem e meio.